Posts Tagged ‘ex-namorada’

PASSADO NEGRO

julho 1, 2013

foto

Para que você quer saber do passado da pessoa? Quem pegou? Quem é ex? Isso só vai criar um monstrinho dentro de você.

O melhor é não saber de nada sobre ex, paqueras, mal resolvidos, rolos, pegações, carnavais do outro. A vida é hoje, agora, daqui por diante. O passado passou.

Ficar vasculhando a vida do outro só dá merda. Vai encontrar coisas que não precisava saber e que vão doer. Vai encontrar até cabelo em ovo. E vai achar suspeito até o que não existe.

Ler caderninhos, e-mails, Facebook, SMS do outro pode ser um banho de água fria no que você sente e no que você achava que o outro sentia.

Vai ficar perguntando “Já ficou com fulano?”; “Também com ele?”; “E esse aí? Já pegou?”. Se passar a limpo, você não quer mais ficar com quem já deu para Deus e o mundo. O que não deixa de ser machismo.

E se a pessoa negar a responder, você sempre vai achar que rolou. Hoje, minha primeira regra de namoro é: não perguntar e se ela perguntar, não responder.

Porque nós, homens, poderíamos e queremos pegar Deusas e o mundo. Por que elas não podem? Por isso, cuidado em mexer com o “passado negro” do outro. E definitivamente, todo mundo tem um.

carinha_farinha
Por Matheus Tapioca

Anúncios

DIA DOS NAMORADOS SEM NAMORO

junho 24, 2013

Este ano foi a primeira vez que passei um dia dos namorados sozinho, depois de dezessete anos. O dia em que os solteiros se escondem e os casais se expõem numa fila de carros na frente do motel.

Com certeza, foi um dia muito mais barato. Não fiquei esperando uma mesa no restaurante, “bazinho” e nem passei algumas horas num shopping qualquer tentando ser original e romântico.

A Globo transmitiu o jogo Grêmio X São Paulo. Um programa ótimo para solteiros. No SexyHot exibiu o filme “Trios quentes”; o Discovery , “Salvos pela ficção”; GNT, “Saia Justa 2013”.

Para o jantar, preparei um X egg bacon, mas com bastante bacon. Algum pecado deve se ter no Dia dos Namorados. Comprei seis latões de Schin, uma garrafa de Licor de jenipapo e uma mini garrafa de absinto com gelo.

Depois que a bebida acabou, num momento de fraqueza, das velas e do CD romântico, tomei uma atitude desesperada e convidei as minhas duas mãos para uma mènage a trois.

Elas aceitaram numa boa, gostaram das velas, da música, do X-Tudo e, SEM DR, a mágica aconteceu: não trocamos uma palavra e pegamos no sono ao mesmo tempo.


carinha_farinha

Por Matheus Tapioca


%d blogueiros gostam disto: