PAPEL RASGADO

Antônio estava num boteco moderninho, freqüentado por mulheres bonitas e que virou moda, inexplicavelmente, só por ser um autêntico boteco. Pé sujo mesmo, desses que você pede um kibe e o vendedor responde: “Não é kibe. É ovo! Sai mosca!”.

Voltando: Antônio estava no boteco com amigos e amigas, cerveja gelada na mesa, ele se levanta para ir ao toalete unisex (como em todo boteco), logo que acendeu a luz, seus olhos miraram o fundo da cesta de lixo, lá estava uma folha amarela de papel escrita à mão e totalmente rasgada e picada.

Antônio não conseguia tirar os olhos daquele papel rasgado. Letra de mulher. O que estaria escrito? De quem seria? Para quem? Litros saiam da sua bexiga e da sua imaginação. Ele catou cada pedacinho na cesta de lixo do sanitário daquele boteco moderninho. Colocou-os dentro do bolso e voltou para a mesa.

Antônio é alto, forte, traços grossos e olhos penetrantes. Estava namorando Mônica. Lindíssima, interessante, perspicaz. Com eles, na mesa, estavam duas amigas de Mônica e três amigos de Antônio, que não parava de pensar no papel rasgado.

Chegando em casa, Antônio não conseguiu dormir antes de montar o quebra-cabeça:

Oi Tom,

Torci muito pra você parar de pensar em sentir e começar a sentir de uma vez. Enquanto isso, para cada fundo de poço, milhares de motivos de perdão boiando, bóias de coração pra eu me agarrar.

Tivemos momentos mágicos, indescritíveis, delicados, perfeitos. Tão todos lá, gravados na minha memória. Você sempre mexeu de uma maneira muito intensa, muito forte, com meus sentimentos mais profundos, mais guardados. E eu sempre senti como se já te conhecesse há muito tempo e eu queria te conhecer mais e mais, sei que é clichê dizer isso, mas é muito real. A intimidade (em todos os níveis) que eu tenho com você transcende tudo. Não foi por acaso que a gente se encontrou nessa vida. Pra mim foi um encontro de almas, de corpos. Isso é raro, é especial.

Passei tempo demais angustiada comigo mesma, pensando nos ‘e se’, nos ‘será’, nos ‘porquês’.  Foram muitas madrugadas engasgada com os ‘eu te amo’ que estavam comigo e eram seus, mesmo que você não os quisesse. Eu fui muito magoada. Você oscilava entre ‘o namorado sensível’ e ‘o sacana infantil’. Eu tentei. Eu cedi. Eu precisava viver isso, da forma que fosse. E não me arrependo. Porque, apesar de tudo, é você que eu amo, é você que eu quero.

Eu ainda quero muito da vida. Quero viver histórias, amor, amizades de verdade. Não quero viver mais nada pela metade.

Um beijo,
Mônica

Antônio se calou como a carta havia feito naquele botequim e nunca mais deixou de ser inteiro com Mônica e em cada relação que viveu depois dela.

Matheus Tapioca

carinha_farinha

Ilustração: Michel Neuhaus
Toda segunda uma nova crônica. Acompanhe.

Matheus Tapioca

Tags: , , , , , ,

15 Respostas to “PAPEL RASGADO”

  1. di Says:

    faltou uma Tags: rasgado

  2. Jana Says:

    Lindo! Lindo! Lindo!

  3. carol delgado Says:

    <3!! Que coisa mais linda…..

  4. di Says:

    massa! (incluiu o RASGADO na Tags)

  5. Andrea Says:

    Nossa, Teu! Muito bom.

  6. larissa Says:

    apaixonante!
    feito pra mim…

  7. Tatiana Says:

    depois disso só um suspiro.

  8. jorge jr. Says:

    incrível! e as ilustrações de michel casanova cada vez mais extraordinárias.

  9. Mariana Lima Says:

    Indiscutivelmente 10!!!
    Bordadissimo à mao… Super sensivel… Mega reflexionante…
    Cada dia melhor… Cada dia melhor…

  10. Mali Says:

    Demorei pra ler, mas veleu a espera!
    Traduz estórias de muuuuitas mulheres.
    Um beijo

  11. Leila Says:

    Esse merecia ser “copiado e colado” p um ex meu(namoro breve).
    Acho q todo mundo já teve um “Antonio” na vida, tem gente q passa a vida c “Antonios”! Comigo não dura nadinha… rsrs

  12. Mosca Says:

    Felizes dos Antônios alertados em tempo. O anjo desse o acompanhou ao toillet do “pub baiano” (o meu, geralmente, fica no estacionamento me esperando).

  13. Vânia Says:

    Meu “Tom” tem outro nome. Pena não ter sido ele o Antonio.
    Parabéns!

  14. andreia Says:

    pqp…to segurando meu queixo!
    Belíssimo e é tudo se entregar,faz até o outro
    evoluir…efeito cascata,sem superficialidades,
    que hajam muitos Antonios e Monicas por aí.
    AP

  15. Elaine Marques Says:

    Amei.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: