BAIANO INTROVERTIDO

maio 23, 2016

Acho que sou o único baiano introvertido que conheço. Mas não sou deprimido, nem infeliz.

Tenho medo de pessoas que sorriem de mais. Meu esporte preferido não é coletivo, é natação. Gosto de músicas tristes que só eu escuto, no volume que só eu suporto.

Aprendi a sair e viajar sozinho. Adoro morar só e encontrar a casa como deixei, quando saí.

Sou, como quase todo mundo, bipolar. Almoço sozinho, bebo sozinho, coisas do dia a dia que eu achava que eram atitudes apenas de pessoas solitárias. Não são.

Falo pouco, muitas vezes não emito minha opinão. Não quero convencer ninguém de que estou mais certo que o outro. Afinal, quem está certo?

Sou uma pessoa pensativa, sou pago para criar. Trabalho que ocorre dentro de cada um, mesmo quando é compartilhado.

Este blog não é literatura, é apenas uma maneira que encontrei de ser menos introvertido, tentando escrever coisas extrovertidas.

Pareço sério, sisudo, porque sou fechado, difícil de me abrir. Minha vida é, no máximo, um blog aberto.

carinha_farinhaMatheus Tapioca

SEGURANÇA

maio 19, 2016

Todos precisam de segurança. Todos querem ter o controle da situação. Manter o controle, sempre. Seguro, confortável, estabilizado, maduro, centrado. Aí, chega a paixão…

carinha_farinha
Por Matheus Tapioca

BORBOLETAS NO ESTÔMAGO

maio 16, 2016

As minhas saíram pelos “quatro buracos da minha cabeça”, meus poros e meus braços. Como é bom sentir esse friozinho na barriga, voltar a ter quinze anos de idade e se arrumar para o primeiro encontro.

As borboletas saem em forma de olhares, perfumes inebriantes, suores, abraços, pernas bambas e beijos na boca. O Efeito Borboleta faz tudo mudar ao redor, capaz de formar um verdadeiro tufão dentro da gente.

Elas saem voando com as qualidades no mode on: deixar ela falar sem parar, fazer ela dar risada, escolher os temas mais interessantes e algumas merdas, ser romântico, abrir a porta do carro, pagar a conta, enfim, como é bom voltar a ser adolescente, mas com CNH.

Mas algumas continuam presas com os defeitos no mode off: nada de palavrões, mostrar nervosismo, suor na mão, encolher a barriga, desligar o celular, comer e beber pouco, fingir segurança e autoconfiança, sem ciúmes e estresse. No primeiro encontro, todas as borboletas são multicoloridas.

Se não for assim, elas voltam para o estômago prontas para baterem suas asas novamente. Mas se tudo der certo, basta abrir as gaiolas do coração.

carinha_farinha
Matheus Tapioca

INSÔNIA É A PIOR SOLIDÃO QUE EXISTE

maio 9, 2016

A insônia é a pior solidão que existe. Mesmo dormindo com alguém, você não vai acordar quem está ao seu lado. Você está sozinho na cama, na casa, no prédio, na cidade onde todos dormem. A solidão é tão grande que nem Morpheus aceita você.

Liga e desliga a TV inúmeras vezes, conhecendo toda a programação da madrugada na TV. Cento e oitenta canais sem consolo. Nem a locução em inglês, com a voz mansa do Discovery Channel, está sozinha, porque você é a única audiência.

Abre e fecha a geladeira mil vezes. Come com a fome de sentinela, com a esperança que o sangue do cérebro vá todo para o estômago e o faça dormir. Mas o jejum é de sono. Você deixa de comer. Outro comportamento da solidão.

Duas, três, quatro gotas de Rivotril, nove não o farão acordar, e você continua sozinho na escuridão. Como você deseja aquela anestesia de endoscopia que o médico pede para contar até dez e você apaga no quatro. A vontade de chorar é inevitável. Outra característica da solidão.

E você sabe que às sete horas da manhã é o pior horário. É o momento que o sono vem com força total, mas você tem que levantar para ir trabalhar. Red Bull para permanecer em vigília.

A solidão continua quando você está no trânsito, onde todos estão com os olhos inchados. No escritório todos dormiram, menos você. Ninguém vai sentir o que você está sofrendo, quando é a solidão que causa a sua insônia.

carinha_farinha
Matheus Tapioca

 

 

 

 

 

HOMÍCIDIO DOLOSO

maio 5, 2016

Ela o matou em seu coração por legítima defesa.

carinha_farinhaMatheus Tapioca

TUDO ÓTIMO

maio 2, 2016

pooA partir de agora, toda vez que me perguntarem “Como vai?”, eu vou responder “Tudo ótimo!”.

Odeio quando a pessoa responde “tudo indo”, “vai se levando”,  “deixando a vida me levar”, “nas mãos do nosso Senhor”, “vivendo”, “sobrevivendo” (este é o pior). E aí de você se perguntar “por que?”.

É quase como um lamento, querendo seu consolo, sua pena, um pouco a mais da sua atenção, quando, na verdade, você só queria dar um “oi!” por educação.

“Tudo ótimo” é bom até quando você está péssimo. Mostra que você não tem nada a lamentar, fazendo com que a conversa não renda. Além disso, você passa uma energia boa, será lembrado pelo outro com alegria.

Ninguém quer saber da felicidade dos outros (e é até bom que não saibam). Eles querem que você ouça que a vida delas está “uma merda!”. E ainda dizem “você que é feliz!”. Mais um motivo para confirmar minha teoria.

“Tudo ótimo” pode virar um mantra para sua vida, um reforço positivo, diário, de autoajuda. E vai permitir que você veja que é mais forte do que imagina, mesmo levando muita pancada da vida.

carinha_farinhaMatheus Tapioca
Ilustração: Theo Siqueira

CONVERSA DE BAR

abril 28, 2016

O rapaz sendo complacente, sorriso fácil, todo romântico, ouvindo a mulher falar sem parar e fazendo de tudo para seduzir, quando ela solta:

– Não consigo me envolver com ninguém que não desce fundo, no âmago da tristeza e de si mesmo, assim como eu.

Ele pensou: vai querer falar de Freud na mesa do bar? Porra de âmago de si mesmo! Ele encerra a conversa:

– Mesmo você não sabendo o quanto o outro afunda, não seria bom ter uma pessoa na superfície para puxar você do fundo do poço? Garçom, a conta por favor.

carinha_farinhaMatheus Tapioca

MANDA NUDES

abril 25, 2016

nudes

Quem nunca? É ótimo provocar e é uma delícia receber. Com o advento da tecnologia, o corpo está ao alcance do celular.

É uma espiadinha, um arrepio, uma fresta da beleza e da sensualidade numa noite solitária, numa tarde entediante ou num delicioso “bom dia”.

Acho ridículo homem que espalha na rede os nudes das mulheres. Não tenho essa falta de respeito ou carácter. Muito pelo contrário. Não quero dividir com ninguém, quero essa foto todinha só pra mim.

Você deixa de ser especial e até ganha processo na justiça, só porque quer se exibir para seus amigos. Sem descobrir que os melhores comem “queto”, o que deixa você mais respeitado por eles e, principalmente, por elas.

Mil pecados passam pela cabeça, não consegue mais trabalhar, nem dormir, só esperando a próxima. Qual será a parte do corpo? A produção, a pose, caras, bocas, silhuetas que estão na palma da sua mão, clamando: manda nudes!

carinha_farinhaMatheus Tapioca
Ilustração: Theo Siqueira

 

LUTA

abril 21, 2016

Meu golpe é baixo. Meu nocaute é a palavra. Meu tatame é redondo. Meu beijo é roubado. Meu olhar é de psicopata. Sexo é meu MMA. Seu coração é meu cinturão do UFC, mas nunca um troféu.

carinha_farinha Matheus Tapioca

CALA A BOCA!

abril 19, 2016

É tanta coisa que penso, sinto, brinco, dou risada, choro, engulo, vomito. São coisas que não cabem em mim, muito menos neste blog.

carinha_farinhaMatheus Tapioca

RÓTULOS

abril 18, 2016

Você é de humanas ou exatas? Coxinha ou petralha? Gay ou goy? Você é nota nove? Como você se rotula?

A gente sempre quer rotular as pessoas e os sentimentos. Ficamos na luta interminável de querer dar nome a tudo, ser racional o suficiente para entender o que é cada coisa. Sem pensar que, muitas vezes, o importante é apenas sentir.

Sentir aquele poema que você não entendeu, a música que envolveu sem saber o porquê, o abraço que comoveu sem elucidar, o filme de Fellini que você não desvendou mas se emocionou, nem tudo na vida vem mastigadinho.

Numa prova de vestibular havia uma letra de Chico Buarque para testar a capacidade de interpretação de texto dos candidatos. Sabendo disso, Chico decidiu responder às questões. Quando foi olhar o gabarito de dez perguntas, ele acertou apenas cinco. Como rotular os sentimentos dentro de cada verso?

Pergunte para aquela pessoa especial: “Por que você me ama?” Se ela tiver uma explicação, não é amor. Amor não se rotula. Rótulos reduzem o entendimento e o sentimento.

carinha_farinhaMatheus Tapioca

O MEU É PIOR DO QUE O SEU

abril 14, 2016

Já reparou que todo mundo tem um caso mais trágico, doloroso, assombroso do que os outros? Parece uma competição de quem mais se fudeu na vida.

– A dor do parto é a mais forte que existe.
– Isso por você não teve pedras nos rins.
– Ah! Mas homem é mais fraco pra dor. Porque tive uma crise renal na hora de parir.

Se não é com dor, é com tragédia:

– Menina, passei por uma coisa terrível na infância, saí pelo pára-brisa num acidente de carro e escapei da morte.
– Pois a família do meu tio morreu toda num acidente, na BR.

Sobre o dia a dia:

– Passei duas horas de relógio na fila do DETRAN pra renovar minha carteira.
– Eu acho é pouco! Passei trê horas no trânsito e uma hora na fila do banco para o caixa dizer que não pagava aquele boleto.

Acidentes:

– Rapaz, quebrei o pé. Quinze dias de bota ortopédica.
– Eu cai naquela lança da grande do portão e fiquei vinte e três dias com a perna aberta no hospital. Ó pai ó, a cicatriz.

Tem com sofrência também:

– Já tive uma esposa que me traia com meu irmão.
– E eu? Esperei nove meses para ver meu filho nascer e minha mulher pariu um anão!

carinha_farinhaMatheus Tapioca

TEMPERO DA VIDA

abril 11, 2016

Quero te saborear com os cinco sentidos:
Passar a língua pelo teu corpo
Experimentando teu sal a gosto

Quero te saborear com os cinco sentidos:
Mexer o teu quadril sem parar
Para a vida nunca desandar

Quero te saborear com os cinco sentidos:
Observar teu ponto de ebulição
Revirando os olhos
Entrando em erupção

Quero te saborear com os cinco sentidos:
Fechar o olhos e sentir teu cheiro tomar o quarto, a casa, a vizinhança, o dia, minha vida

Quero te saborear com os cinco sentidos:
Ouvir teus gemidos
Pedindo mais

Quero te saborear com os cinco sentidos
Porque é com seu tempero que se faz a melhor tapioca

 

carinha_farinha
Matheus Tapioca

 

 

BEIJO HÉLICE

abril 7, 2016

Homem que é homem não deixa de ir pra cama com uma mulher que beija mal. Já as mulheres, não dão nem o telefone. Tem beijos que você tenta mudar, ensina como você gosta, aprende como ela interage, aumenta ou diminui a velocidade, se ajusta e outros não tem solução. Totalmente broxante.

Outro dia, Carol U. me falou de um cardápio de beijos ruins que ela e suas amigas experimentaram e catalogaram:

Beijo Hélice: a língua gira sem parar, só falta levantar vôo e você, sem saber o que fazer, não beija nunca mais. “Está entre os piores”, segundo ela;

Beijo Cuco: a língua entra e sai feito um relógio de cuco. Com o passarinho entrando e saindo a cada beijo, ou seja, tem hora para acabar;

Boca de Cu: é um bico, como se fosse um selinho, porém a língua sai do biquinho que não se abre. Isso mesmo, um cotoco de língua fica para fora do bico do rapaz;

Beijo Babado: é beijo com uso de guardanapo. A cara fica toda babada, feito cachorro quando lambe nosso rosto;

Beijo Cinzeiro: você tem certeza que beijou um cinzeiro, depois de beija um fumante. Nesses casos, peça sempre um trago do cigarro dele, antes de beijá-lo;

Beijo Alcóolico: se tiver bebendo a mesma bebida, massa. Beijo com gosto de cerveja é péssimo. Whisky é mais aconselhável;

Beijo sem Língua: a boca abre, fecha, muda de posição, mas nada da língua sair e dar as caras. O gato comeu? Beijo técnico? Vai passar em qual novela?

É o fim do romance.

carinha_farinhaMatheus Tapioca

CORRETOR ORTOGRÁFICO

abril 4, 2016

Caralho vira Carvalho;
Descarado, descartado;
Nigrinha, nigeriana;
Cu, curti;
Boceta é corrigido por bocejando;
Pepeka por Perpétuas;
Viado, Virado;
Bicha, bichano;
Periguete, periguei;
Escroto, escritor;
Pau é pão;
Sacanagem, sacando;
Canalha seria cangalha?
Amante se transforma em amanteigado;
Cafetina, cafeteira;
Foda, fidalgo;
Fodido vira focinho
Capeta, capela;
Grelo, grelou;
Porra muda para porta;
Pentelho, penteado.

A gente tem que corrigir o corretor. Virou quase obrigatório o uso de asterisco para sinalizar uma correção na mensagem, criando vários problemas de interpretação.

Mas também tem os “Atos Falhos Digitais”. Quando o inverso acontece. “Vc quer trepar esse fds? Hehe *trampar, trabalhar…”. “Quero jantar um pênis. Oops… *penne”. “Que tal uma buceta?”.

Talvez seja uma forma de fugir da opressão do sistema, o grande irmão de George Orwell, o establishment. Ou os construtores do corretor ortográfico não falam nome feio? Seria feito por freiras fransciscanas? Melhor desligar o corretor.

carinha_farinha

Por Matheus Tapioca

AMASSO

março 4, 2013

Ela era tão carente que se sentia abraçada quando colocava o cinto de segurança do carro.

carinha_farinha
Por Matheus Tapioca

MARRA

agosto 15, 2011

Nariz em pé, peito estufado, bunda arrebitada. Uma escoliose no alto do seu pedestal.

A marra é quase uma religião no Rio de Janeiro. O culto é ao corpo, a igreja é a academia, o padre é o personal, a hóstia é a bolinha e a cabeça é a oficina do diabo.

Quando morei no Rio, achava que só as mulheres lindas eram marrentas (confesso que algumas tinham o direito de ser). Mas depois descobri que até as feias eram metidas.

E do alto seu altar, você é invisível. Não agradecem por você ter aberto a porta do elevador. Acham que a porta abriu sozinha. Uma mágica, um abre-te Sésamo.

Se fosse Gisele, vá lá. Mas, porra, feia feito o custipiu e nem olha para você? Tudo bem que sou careca, mas tenho olho azul e sotaque baiano.

Os homens também se acham. Só pelo simples fato de serem… cariocas. Estes vão de sunga branca pra praia. Não é à toa que o Brasil inteiro diz que o problema do Rio são os cariocas.

Muitos dos meus melhores amigos são cariocas (exceção que confirma a MINHA regra). Amo-os, mas eles se acham deuses em Ipanema.

É tão blasè, tanto doce, tanto nariz, tanto umbigo, tanto Global, que acabam voltando para casa sozinhas.
Matheus Tapioca

carinha_farinha
Ilustração: Michel Neuhaus
Vote no Farinha no Prêmio Top Blog. Clique aqui.
Seja farinha do mesmo saco. Compartilhe:


TIPO ASSIM

junho 6, 2011

Já reparou como as pessoas falam “tipo assim” e “tipo” nos dias de hoje? Como se a gente soubesse o que a pessoa está, tipo, querendo falar.

É tipo pra lá, tipo pra cá, tipo assim, entende? Não entendo. É que, tipo, fico prestando atenção só no tanto de “tipo” que a pessoa fala. Será que, tipo, a pessoa só lê 140 caracteres? Ou só escreve “tipo assim”?

Tipo, as pessoas estão reduzindo seu vocabulário e falam “tipo”, sem saber a palavra que, tipo, devem usar. Até para falar as horas é tipo treze horas.

Parece aquelas pessoas que não sabem a palavra em inglês e tentam explicá-la, tipo, prum gringo. Mas estamos falando, tipo, em portugês. Será?

Acho que as pessoas, tipo, deveriam ler mais. Tipo, qualquer coisa que gostem e aprendam a falar outras palavras, aumentar o vocabulário, tipo assim, entende?

As pessoas quando não sabem uma palavra, tipo, tem preguiça de procurar no dicionário o significado e preferem falar “tipo”. Mas “tipo” pode ser qualquer coisa e coisa nenhuma, ao mesmo tempo. Uma coisa, tipo, péssima.

Já reparou quantos “tipo” você fala? E a quantidade que um adolescente é capaz de falar? É algo, tipo, assustador.

Mas também tem muito adulto falando “tipo” sem parar. Desse jeito, as pessoas também vão acabar ficando tipo… Assim.
Matheus Tapioca

carinha_farinha
Ilustração: Theo Siqueira

METROSSEXUAL

janeiro 31, 2011

Ok, admito: eu tentei ser metrossexual. É verdade. Comprei Óleo Corporal Menta e Alecrim Refrescante, Hidratante Corporal Algodão, Natura Chronos 30+ (poucos sinais), sabonetes esfoliantes buriti, pitanga, cacau e andiroba.

Depois de tomar banho todos os dias, aprendi que sabonete esfoliante não se usa todo dia. Apenas duas ou três vezes por semana e não pode passar no rosto. Ou seja, tive que comprar outro sabonete só para o rosto.

Descobri que quando se usa o óleo hidratante no banho não é recomendável passar o hidratante corporal, e vice-versa, para a pele não ficar muito oleosa.

Natura Chronos 30+ (poucos sinais) é para usar duas vezes ao dia, com movimentos para cima, lutando inutilmente contra a gravidade. Estou pensando seriamente em usar o 50+ para ver se adianta alguma coisa e fico até mais novo.

Agora tudo tem um limite: não faço pé, mão, sobrancelha, nem uso maquiagem reparadora. E meu bolso agradece por ser careca, senão teria que comprar o Shampoo Condicionante Limpeza Profunda.

Nessa experiência tive a mesma sensação que toda mulher deve sentir: o bem estar de se cuidar. Sair do banho cheiroso, hidratado e achando até minha barriga sexy. Praticamente um gay.

Todo esse tratamento não durou muito. Dá muito trabalho ser metrossexual. Não pode isso, não pode aquilo e minhas condutas não são pautadas pela moda.

Além de ficar horas no banho, vamo combinar que passar tanta coisa assim no corpo não deve fazer muito bem.

Mas esses poucos dias foram suficientes para eu evoluir como homem: nunca mais reclamo do atraso das mulheres na hora de se arrumar.
Matheus Tapioca

carinha_farinha
Ilustração: Michel Neuhaus

ESPERMOGRAMA

outubro 5, 2009

Mchel_Neuhaus_Espermograma

O nome só não é pior do que o constrangimento. Quando o médico me deu a prescrição, a paranóia começou antes de sair do consultório. Será que sou estéril? Porra! Tantos anos transando de camisinha… Pra que?

O constrangimento começou na ligação para o laboratório. Eu não sabia se preferia ser atendido por um homem ou por uma mulher. A mulher por causa da prática e o homem pelo resultado. Marquei com o máximo de tempo permitido.

Três semanas depois, cheguei ao laboratório e parecia que todo mundo sabia o que eu ia fazer lá dentro. Na recepção, a mulher falou para quem quisesse ouvir:
– ESPERMOGRAMA?! A sua senha é diferente. Dobre a direita, depois a esquerda.

Ainda tinha outro balcão. Fui lá e só mostrei a prescrição e a enfermeira, bonitinha até, me pediu para esperar na última sala de espera. Parecia que ia sair radiação na coleta, de tão longe de tudo e de todos que fiquei.

Numa situação como essa, num momento como esse, é preciso ter um mínimo de fantasia e fetiche para se chegar nos “finalmentes”. Impossível não pensar numa enfermeira de minissaia, colocando o dedo na boca pedindo silêncio.  Infelizmente os laboratórios sabem disso e me apareceu um tribufu virado no estrupício me chamar.

Entramos numa sala e ela falou:
– Tem revista e DVD, o controle remoto está aqui. Quando terminar, deixe o potinho no balcão ao lado e diga na recepção que o frasco já está disponível para análise.

Que excitante, não? Agora me diga com que coragem eu ia pegar no controle remoto, na revista ou no DVD? Se você conhece alguém que nunca broxou, ele broxa aqui. O lugar esterilizado mais nojento que já fiquei.

Passei longos minutos olhando pro potinho, nunca tinha feito pontaria pra isso, será que eu vou conseguir acertar? E se errar? Vou ter que tentar de novo? E quem já perdeu a mira? Acertou onde? Arg! Cadê a enfermeira de minissaia com o dedo na boca pedindo silêncio?

Vai logo. Na adolescência meu recorde eram 2,5 minutos. Vamos. Desejei, por alguns segundos, ter ejaculação precoce. E nada. O dragão bateu na porta, me lembrei do rosto dela… Nada. Não resisti. Liguei o DVD e era o filme de Gretchen… Que coisa terrível. Naquela idade…

Desliguei o DVD, me concentrei e fui profissional. Pela primeira vez na vida, consegui recolher a amostra sem sentir prazer. Me senti como um gado reprodutor. Deixei o potinho no balcão e sai correndo daquele laboratório para nunca mais voltar.

Pela internet, imprimi o resultado: 300 milhões de espermatozóides, 92% em bom estado, 2% sem cabeça e 1% sem rabo. Ou será que estavam com o rabo entre as pernas com medo do potinho? Os outros 5% são de um monte de coisa que não sei pra que serve. Mas confesso: nunca me senti tão viril. Capaz de “abrir os braços e fazer um país”.Matheus Tapioca

carinha_farinha
Ilustração: Michel Neuhaus
Texto: Matheus Tapioca


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.544 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: